10 dicas para melhorar a dicção

10 dicas para melhorar a dicção

Saber se comunicar é fundamental para o convívio em sociedade. No mundo dos negócios, isso se torna ainda mais importante. Um dos fatores que mais atrapalham a comunicação é a má articulação das palavras. Por isso, hoje, queremos ajudar você a melhorar a sua dicção!

Ao falar, uma boa dicção confere clareza, objetividade e assertividade à mensagem que está sendo transmitida. Além disso, você transmite segurança sobre o assunto, fazendo com que as pessoas se sintam interessadas no tema.

Se você tem dúvidas sobre como melhorar a dicção, está no lugar certo! Neste conteúdo, você vai conhecer exercícios e técnicas que vão facilitar e aprimorar a sua maneira de falar. Continue a leitura para aprender dicas infalíveis e aperfeiçoar a sua comunicação. Aproveite!

Por que é importante ter uma boa dicção?

Você já teve a sensação de que alguns discursos são muito mais eloquentes que outros, mesmo tratando de um mesmo tema? E, por acaso, já se perguntou por que isso acontece? Pois é, se você quer melhorar a sua apresentação profissional e até pessoal, é melhor começar a dar atenção aos detalhes!

Uma fala bem estruturada, com uma boa entonação vocal, pausas adequadas e uma pronúncia limpa, pode realmente despertar a atenção e o interesse de qualquer ouvinte. Além disso, essas características atribuem ainda mais credibilidade e confiabilidade ao seu discurso.

O excesso de informalidade pode fazer com que um palestrante ou profissional não seja levado realmente a sério. Por outro lado, a formalidade extrema pode tornar tudo entediante e acabar dispersando a atenção de quem escuta. Assim, é preciso desenvolver algumas técnicas para ganhar confiança e se comunicar de maneira eficiente, utilizando toda a sua potência corporal a favor da sua apresentação.

Como é possível melhorar a dicção?

Se você não se sente confiante com a sua dicção e ainda enfrenta algumas dificuldades quando precisa falar em público, já pode relaxar. Nós elencamos uma série de dicas e exercícios que vão ajudar você a se soltar e a conquistar o domínio da sua fala. Está preparado? Então, vamos lá!

1. Relaxando a voz

Sabe quando você vê uma pessoa toda travada, dando a impressão de que ela está extremamente tensa? Bem, isso não acontece só com o seu corpo, mas também com a sua voz. Um discurso claro e bem articulado requer o relaxamento vocal. A tensão é transmitida na linguagem oral e reflete na qualidade da oratória.

Ao conseguir relaxar, a fala passa a ser mais pausada e o orador consegue transmitir credibilidade e segurança nas informações proferidas. Um exercício eficaz para conseguir o relaxamento é feito com o treino da nasalização:

  • coloque os dedos polegar e indicador sobre o nariz, sem fazer força;
  • com a boca fechada, imite o zumbido de uma abelha por cerca de um minuto;
  • sinta a vibração constante produzida pelo nariz e pela boca;
  • descanse por 30 segundos e, então, repita o exercício mais algumas vezes.

Essa técnica pode ser exercitada antes de uma apresentação ou naqueles momentos em que o nervosismo parece tomar conta.

2. Brincando com trava-línguas

Falar as palavras e frases de maneira impecável requer treinamento. Muitos exercícios de ortofonia — segmento da linguística que estuda a pronúncia — são compostos pela repetição de alguma consoante, para treinar a fluidez do discurso.

O trava-línguas é uma ótima forma de trabalhar a articulação da língua e dos músculos bucais. Dessa maneira, é possível conseguir pronunciar palavra por palavra, sem atropelar ou emendar o fim de uma com o início da outra.

Leia em voz alta as seguintes frases abaixo, sempre se desafiando a ir mais rápido:

  • os gêmeos do general Gilberto, gênios em geologia, gesticulavam geralmente junto da gente;
  • num ninho de mafagafos, há cinco mafagafinhos! Quem desmafagafizá-los um bom desmafagafizador será;
  • em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros;
  • o rato, ratazana, o ratinho, roeram as rútilas roupas e rasgaram as ricas rendas da rainha dona Urraca de Bombarral;
  • o que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui;
  • Joana, a joaninha, enjoada de jantar jiló, jaca e berinjela, resolveu dar um jeito; foi falar com Juca e pediu sua sugestão. Juca, muito jeitoso, sugeriu ligeirinho jambo e jabá;
  • o pinto pia, a pipa pinga. Pinga a pipa e o pinto pia. Quanto mais o pinto pia mais a pipa pinga;
  • Filomena Felícia Fausta Fonseca, famosa flor, farmacêutica fez formidáveis fórmulas, fabricou formosos fortificantes e famosos fertilizantes, fazendo felizes frenéticos fregueses;
  • o desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.

Depois de conseguir falar as frases sem atropelar as palavras, coloque um lápis entre os dentes e reinicie o treinamento. Você vai ver como os resultados melhoram ao longo do treino.

3. Fazendo movimentos faciais exagerados

Como automatizamos a fala, os movimentos faciais empregados para esse ato não são percebidos e isso reforça vícios de linguagem e compromete a qualidade da oratória. Dessa maneira, tente falar forçando bastante os movimentos faciais.

Abra bem a boca ao falar e pronuncie de maneira forçada pausadamente as sílabas, enfatizando as vogais. Preste atenção no posicionamento da língua, pois isso interfere em uma fala com ruídos.

Essa técnica contribui para a tonificação facial e reflete na clareza da pronúncia. Tire cerca de 30 minutos por dia para ler um texto em voz alta, articulando os músculos bucais. Em pouco tempo, você vai notar que as palavras saem mais nítidas em seu discurso, contribuindo para uma oratória eficaz.

4. Exercitando a fala desacelerada

Se você costuma falar rápido o suficiente para que as pessoas sempre estejam perguntando “o que você disse?”, vai gostar desta dica: um discurso seguro e eficiente tem como uma das características a pronúncia das sílabas. Isso porque, quando falamos de maneira apressada, as sílabas se sobrepõem, o que prejudica o entendimento da mensagem.

O ouvinte precisa entender o que você diz e a articulação correta de cada sílaba tem muito peso. Para ajudar a desenvolver a fala correta, fale as sílabas abaixo todos os dias, repetindo cada sequência por cerca de cinco vezes:

  • as, es, ês, is, os, ôs, us;
  • mua, meu, mui, muo, um;
  • pra, ca, tra, cha, nha, lha, gua, qua.

5. Observando a sua respiração

O ritmo da respiração interfere na pronúncia das palavras. Quando você está ofegante, as sílabas vão se embolar e a oratória não será satisfatória. Isso porque a fala se dá pela passagem de ar nas pregas vocais e o desempenho da linguagem oral está diretamente relacionado com a maneira como se respira.

Treine a respiração diafragmática deitando-se com os pés elevados e uma das mãos sobre o peito, enquanto a outra fica abaixo das costelas. Inspire e expire profundamente e se concentre em fazer com que a mão que está abaixo da costela seja elevada mais do que a mão que está no peito. A elevação é indicativo da movimentação completa do diafragma.

Agora, fique de pé e mantenha pernas e ombros alinhados. Inspire o ar profundamente, até inflar ao máximo a região diafragmática. Expire lentamente e de forma contínua enquanto emite o som da letra F. Inspire novamente e vá soltando o ar, parando algumas vezes, enquanto emite o som da letra S. Faça pausas e repita por cinco vezes.

6. Melhorando o seu vocabulário

A repetição de termos, o excesso de vícios de linguagem e a reincidência de pausas acompanhadas de “é”, “ãhm” e “daí”, por exemplo, são indícios de que o seu vocabulário precisa de um up. Se você não conseguir melhorar o seu arsenal de palavras, será difícil fazer uma apresentação eloquente.

Você não precisa procurar palavras difíceis no dicionário e correr o risco de empregá-las mal no seu discurso. No entanto, é importante ter uma boa noção de sinônimos e termos que possam se encaixar de maneira natural no que está sendo dito.

Leia livros, revistas e jornais sobre os mais diferentes assuntos, atentando àqueles termos que você não conhece. Procure saber o seu significado e comece a utilizá-los no dia a dia, em conversas informais, até que eles se tornem “normais”.

7. Trabalhando a sua postura

Quando se trata de linguagem corporal, todo cuidado é pouco. Por incrível que pareça, seu corpo fala tanto quanto (ou mais) do que a sua boca. É isso mesmo! Quando você chega a uma apresentação todo travado, com movimentos extremamente contidos, a impressão que o público tem é completamente diferente de quando você está descontraído.

Para isso, em casa, procure fazer exercícios de alongamento que afastem do seu corpo todo vestígio de tensão. Da mesma maneira, ensaie alguns gestos utilizados no dia a dia que possam ser incorporados à sua fala, evitando qualquer movimento que possa soar como ambíguo. Quanto mais fluido e natural você conseguir manter o seu corpo durante a apresentação, mais confortáveis as pessoas ficarão com a sua fala.

8. Fazendo gargarejos

Você sabia que fazer um gargarejo com água pode ajudá-lo a melhorar a dicção? Pois é. A técnica é muito utilizada para trabalhar a nossa faringe, a base da nossa língua e também o céu da boca. Esses locais são chamados de pontos articulatórios, utilizados constantemente durante a fala.

O curioso é que esse exercício simples também ajuda a acionar a musculatura responsável por aqueles sons de “ão”, “gão”, “cão” e “uma”. O resultado é um som muito mais limpo no momento da pronúncia, fazendo com que as palavras partam lá do fundo da boca, proporcionando mais clareza para quem escuta.

9. Treinando o ritmo da fala

Já mencionamos o quanto o uso de “ãhm”, “é” e “daí” é prejudicial para a sua fala, não é? Eles deixam sua apresentação truncada e não transmitem credibilidade alguma. Da mesma forma, uma dicção atropelada também pode afetar muito a qualidade do seu discurso.

Por isso, o ideal é fazer treinos de ritmo de fala, lendo textos da forma mais pausada que você conseguir até a mais rápida. Depois, experimente uma velocidade que atribua clareza, sem tornar o seu discurso entediante. Uma boa dica é dar ênfase àquelas partes da fala que você quer que sejam salientadas.

10. Fazendo um curso de oratória

Há várias formas de melhorar a pronúncia de palavras, mas não é só a má articulação (dicção) que compromete a sua comunicação. Vários outros fatores podem prejudicar a eficácia do seu discurso. Por isso, fazer um curso de oratória é investir em sua carreira.

Ao final do processo, você vai saber como impostar a voz, ter uma postura adequada e uma expressão corporal convincente e vai aprender técnicas para que a mensagem seja plenamente compreendida.

Então, para melhorar a dicção e ainda aprender outras técnicas de oratória, converse com a gente!

divulgue

Comments

  1. Parabéns. Excelente post.

  2. Marilza mendes conceicao : fevereiro 28, 2021 at 4:51 pm

    Sim preciso falar melhor e vou conseguir

  3. Marco Aurélio Andrade : abril 29, 2021 at 11:54 am

    Parabéns pelo post! ele é realmente muito útil, vou tentar a cada a dia melhorar meu vocabulário e a minha dicção para fazer melhores apresentações.

  4. Helena Meque : março 4, 2022 at 7:57 pm

    Estou gostando das dicas , cada dia que passa verifico uma melhoria na minha dicção.

  5. Lulendo Victor Cazangala : março 18, 2022 at 5:23 pm

    Por a caso goste da aula e gostaria que houvesse alguns exemplos de áudio de como fazer os exercícios.

  6. Amei as dicas. Parabéns!👏

  7. Ótimas estudos, vou iniciar agora,obrigado.

  8. JONAS LUIZ DE : maio 21, 2022 at 8:50 pm

    Gostei muito dessas dicas, texto rico em conteúdo, obrigado!

    • Olá, Jonas! Que bom que gostou das dicas, esperamos que elas possam te ajudar! Nós postamos conteúdo toda semana, então fique de olho para não perder nenhuma novidade!

  9. Raphael De Nardi : junho 14, 2022 at 9:16 pm

    Ótimo! Obrigado pelo conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *