perda de voz

Você sabia que a perda de voz pode ser emocional?

Em algum momento da vida você já deve ter se deparado com a ausência total ou parcial da voz, não é mesmo? A questão é que, antes disso acontecer, o nosso aparelho fonador dá alguns sinais de que algo não vai bem. A rouquidão é o sinal mais aparente quando se trata de problemas na voz. No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que as suas causas nem sempre são físicas. Há casos em que a perda de voz é emocional.

Sim! Em situações de resfriado ou uso exagerado do volume da voz é esperado o aparecimento da rouquidão. Contudo, existem situações que a perda da voz pode ter relação direta com o estresse e a depressão, por exemplo.

Se você quer saber mais sobre a perda da voz por fatores emocionais continue a leitura e confira nosso conteúdo a respeito desse assunto!

Você sabe o que é disfonia?

A disfonia é a alteração de algumas qualidades acústicas da voz. Ela representa dificuldades na intensidade, tom, timbre e duração da emissão vocal. Seus principais sintomas são a rouquidão, ardência na região da garganta e pescoço, dificuldade em manter a intensidade vocal. A partir desses sintomas, é comum que o locutor passe a fazer mais força para falar e isso prejudica ainda mais o estado vocal.

O problema pode ser causado pelo uso inadequado da voz ou como consequência de alguma alteração no organismo, por exemplo, faringite, laringite ou alergias.
No entanto, além das causas orgânicas a disfonia pode ter uma relação direta com o psicológico como veremos a seguir.

O estresse e a voz: quais são as relações?

Não podemos esquecer que o nosso corpo é uma junção dos fatores biológicos, psicológicos e ambientais. Essa ideia permite perceber as alterações do organismo, de maneira não puramente física, mas com uma grande interferência emocional.

Dessa forma, a exposição prolongada a situações de estresse, ansiedade e até mesmo a depressão, têm importante influência quando se trata das alterações vocais. Isso se dá ao fato de que é comum que problemas psicológicos possam se tornar sintomas físicos e, segundo a pesquisadora Susana Giannini, o estresse no trabalho tem relação direta com as alterações na voz.

Mas como saber identificar os sintomas e as causas? Qual é o tratamento adequado? Existe alguma medida a ser tomada para a recuperação? Veremos a seguir algumas sugestões.

Sintomas

Já citamos os principais sintomas da disfonia, mas, existem outros que podem sinalizar o início de algum distúrbio na voz. Cansaço ao falar, tosse, pigarro, ressecamento da garganta, falta de ar podem, também, indicar a diminuição da capacidade vocal.

Nesse sentido, é importante prestar atenção nas modificações apresentadas pelo organismo. Assim, sempre que notar algum indício ou sintoma característico procure ajuda de um especialista e adote meios de cuidar da sua saúde vocal.

Causas

Antes de procurar o tratamento, é preciso avaliar quais as possíveis causas da perda da voz. Por isso, é necessário, avaliar se são físicas (uma má formação, por exemplo), se têm causas orgânicas ou se estão relacionadas aos aspectos emocionais.

No caso da última hipótese ser confirmada, é preciso avaliar o fator emocional associado. Dentre eles podem estar:

  • o excesso de trabalho — como é o caso de gestores de empresas com carga horária pesada;
  • um trauma recente — o afastamento ou a perda de alguém próximo;
  • e até mesmo a dificuldade em lidar com situações novas — como assumir um cargo novo.

Tudo isso são situações potenciais para alterações na voz devido a fatores emocionais.

Tratamento

Após avaliar os sintomas e as causas, é preciso procurar os meios adequados para o tratamento. Afinal, alinhar o tratamento às causas é muito importante. Assim, em alguns casos será necessário o acompanhamento de uma equipe de profissionais de fonoaudiologia e psicologia. Vale ressaltar que o trabalho multiprofissional possibilitará cuidados integrais à saúde da voz.

Todavia, há alguns hábitos que, além melhorarem a qualidade de vida, são ferramentas recomendáveis para auxiliar no cuidado e recuperação da voz. Fique por dentro de algumas delas:

Mantenha a garganta hidratada

Tenha sempre um copo ou garrafa d’água consigo. Durante a fala tome pequenos goles e vá hidratando o organismo.

Fale pausadamente

Tenha cuidado para as pausas necessárias durante a fala, sempre observando a forma como respira. As pausas são momentos em que você dá repouso para a voz, permitindo, assim, uma constância no que está sendo dito.

Cuide da respiração

Inspire e expire durante as pausas e utilize a boca e o nariz para respirar. Existem algumas técnicas de respiração que podem ser adotadas, como o treinamento do diafragma e a leitura em voz alta.

Avalie sua rotina

Se organize e separe momentos para repousar. O excesso de trabalho e as obrigações da vida, muitas vezes, acabam sufocando nosso corpo. Lembre-se que você pode ser um exemplo de sucesso para seus colegas de trabalho, no entanto, precisa estar com a saúde mental em dia para que isso aconteça.

Expresse suas emoções

Não guarde seus sentimentos, emoções e pensamentos. Alguém que é impedido ou proibido de se expressar de maneira livre, sem poder dizer o que sente, pode entender — ainda que inconscientemente —, que está sendo reprimido a ponto de perder a capacidade de falar. Por isso, procure sempre de maneira educada, revelar as suas ideias.

Invista em autoconhecimento

Reserve um tempo para cuidar de si e refletir sobre a sua vida. Perder a voz pode ser um fator, dentre tantos, relacionados à baixa autoestima e o sofrimento psicológico. Por isso, aprenda a reconhecer suas limitações e trabalhe com elas dentro da sua realidade.

Agora você sabe que nem sempre são biológicos os fatores associados à perda de voz. Emocional, fisiológico, biológico e social compõem, também, esse bem tão precioso, que é a capacidade de falar. Por isso, ao primeiro sinal de alteração no seu aparelho vocal, esteja atento às prováveis causas.

Gostou do nosso texto sobre os aspectos emocionais relacionados à voz? Conhece alguém que pode estar passando por uma situação semelhante sem saber? Então não deixe de compartilhar o post nas suas redes sociais.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

  1. Muito boa materia . Hoje eu amanheci sem voz e tenho certeza d q é emocional.

    1. Obrigada Simone!

      Continue nos acompanhando, postamos no blog toda semana.
      Também temos muitas dicas em nossas redes sociais, nos siga por lá!

      Youtube: https://bit.ly/2u0Gc5p
      Facebook: https://www.facebook.com/ClubedaFala
      Instagram: https://www.instagram.com/clubedafala/

      Abraços!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.